Temperamentos e Liderança Horizontal

Temperamentos e Liderança Horizontal

Novidade

Na antiga Grécia, Empédocles trouxe os quatro constituintes do universo: Terra, Água, Ar e Fogo. Segundo sua visão, tudo derivaria daí. Ao trazermos esses quatro elementos para o seres humanos, aprendemos que existem quatro temperamentos básicos. Eles revelam-se a partir do sete anos de idade e fazem parte da nossa constituição física.

O elemento Terra oferece ao ser humano o que chamamos de Temperamento Melancólico. Fisicamente são pessoas que tem um biotipo alongado, seja na face, no corpo, um aspecto retilíneo. Por ser acometido do elemento terra essas pessoas tem um andar arrastado, pesado. Também isso de refere aos gestos, dando pouca expressividade. A expressão facial pende, também os olhos habitualmente são caídos, semicerrados. Olham comumente para baixo, a cabeça é colocada para a frente e para baixo, provocando uma curvatura da coluna. A boca também é puxada para baixo. E seu comportamento tende a ser introspectivo, reservado. Pendente ao pensar e a reflexão, vão à fundo quando aqui se dedicam. Tendem a um caráter de pesar, de queixa, de crítica, continuamente. Transmitem para o meio uma imagem de pessoa incomodada. Assim não há uma tendência de se colocarem no centro dos grupos. Estarão nas bordas, matutando. Sentindo-se acometidos pelos infortúnios da vida ou vendo alguma imperfeição lá fora. Um humor básico que dá uma característica pouco social, reservada, distanciada. Mas vivem duas polaridades: viver egocentricamente com a própria dor, ou olhar a dor ou necessidade do mundo: e nesse contexto são pessoas altamente trabalhadoras, diligentes. Queixam-se, queixam-se, mas são bastante realizadoras. Se olham para os problemas do mundo, seguem ao esforço e muitas vezes se sacrificam. Nesse temperamento não há uma tendência à uma liderança natural. Nesse âmbito auxiliam a olhar detalhes que não foram devidamente cuidados e chamam a atenção para riscos desconsiderados (situação comum em otimistas desenfreados que planejam superficialmente). Além de serem líderes que suam a camisa.

O elemento Ar traz ao ser humano o Temperamento Sanguíneo. As pessoas sanguíneas fisicamente são as mais bem proporcionadas, biotipo equilibrado. Tal qual o ar, tem um andar leve, fluido. Assim a sua expressão gestual é solta, também muito profusa. Expressivos, gesticuladoras, falantes. Olhos que brilham, interessados em tudo que as rodeiam, são sorridentes, abertas, expansivos: naturalmente aparentam uma característica simpática. Acolhem os demais com rapidez e intensidade. São pessoas que tendem a ter um olhar brilhante, aberto, sorridentes. E com essa leveza tendem a ser pessoas bem humoradas, receptivas, que vão na direção das pessoas: e assim atentas à múltiplos interesses (adoram novidades), revelam a tendência de não aprofundar neles. Tendem a pouco se fixar em algo de maneira aprofundada, e a dispersar em vários interesses. Naturalmente otimistas, ressentem-se pouco quando maltratadas. Assim como esquecem sem maiores dores aqueles que deixam para trás. A característica negativa de um sanguíneo é desenvolver a superficialidade, a inconstância, não terminar o que precisa, o seduzir as pessoas para objetivos pessoais, já que são naturalmente encantadores. Se forem para o lado positivo, elas coligam pessoas com bom humor, atenuam o clima de ambientes pesados, são abertos ao novo, o futuro. Podem se tornar líderes integradores.

O elemento da água traz ao ser humano o Temperamento Fleumático. São pessoas de face e corpo arredondado. Seu andar é bamboleante. Vai de um lado para o outro, com lentidão. A expressão também representa essa lentidão. O olhar delas, é meio ensimesmado, às vezes "dormindo". Comumente tem uma aparência amistosa, suave, pacífica. É uma reservada amistosa. Um tipo bonachão. O mais lento de todos os temperamentos. Tal qual a água que corre na natureza em direção a uma zona de repouso, o fleumático busca ir para uma zona de paz. Dependendo da sua vontade, mesmo que não seja muito ligado a movimentar-se, podem ser bons observadores. Gostam do que é conhecido, onde se comprazem em fazer o início, o meio e o fim. Quando começam algo deixam tudo redondo, não deixam nada para traz. São as pessoas que gostam de rotinas, e as executam de maneira apropriada. O risco dos fleumáticos é se tornarem pessoas muito passivas, acomodadas. E naturalmente engordar. Se evoluem para o lado positivo, são pessoas que contribuem cumprindo o que prometem. Quando lideram, são bastante integradores, pois exercem ações suaves.

O elemento fogo, se traduz no ser humano pelo Temperamento Colérico. Fisicamente são pessoas atarracadas, compactas, e olhando por trás parecem não ter pescoço. Andam como se estivessem enfiando o pé no chão e agem rápido em direção ao seu objetivo. O seu rosto tende a ter um uma aparência quadrada, com mandíbulas fortes, com olhos penetrantes que fitam direto. São aquelas que ao terem um objetivo vão com toda força de vontade em sua direção. Tem alta energia. Não é um grande planejador e muitas vezes age com força, mas sem direção. Impacientam-se enquanto não iniciam o que querem. Quer logo fazer, por na prática, fazer acontecer. E quando vão, carregam um entusiasmo que estimulam os demais ou literalmente arrastam as pessoas para isso. Tendem a ter uma liderança natural. Gostam de desafios e quando não os tem tendem a ter tédio. Como são muito enérgicos, se evoluem para o lado negativo se tornam atropeladores de pessoas, praticando autoritarismos, imposições, imputando aos outros os seus próprios erros. Stalin, por exemplo. Se evoluem para o lado positivo, se tornam líderes que servem aos demais, se tornam admirados e preservados por seus liderados. Quando isso ocorre, líderes coléricos tendem à generosidade. O colérico exerce uma liderança empreendedora.

Nós nascemos com os Temperamentos corporalmente definidos. Morreremos com eles. Os elementos vivem em uma polaridade: o peso da Terra (Melancólico) tem a oposição da leveza do Ar (Sanguíneo). Assim como a Água (Fleumático) e o Fogo (Colérico). Cada um de nós tem um Temperamento predominante. Há pessoas que as características são mais intensas. E outras que colhem traços dos Temperamentos que estão ao lado como pode se ver no esquema abaixo. Porém a maturidade, o desenvolvimento humano, propõe que diminuamos os excessos de nosso Temperamento. Provocamos problemas quando acentuamos quaisquer qualidades que temos. E o habitual é que as pessoas evoluam ao longo dos anos atenuando alguns traços e somando outros que compõem a estrutura física e psicológica de todos.



Na visão da Liderança Horizontal, é importante que o líder conheça o seu Temperamento, para fazer uma necessária autocrítica, evitando o excesso de suas características. O problema não é ter uma qualidade, o desequilíbrio ocorre no seu exagero. Além de que conhecendo os Temperamentos dos demais dentro das organizações, este pode compor relações complementares à sua. Por exemplo, se me enxergo como Colérico, vale a pena ter um Melancólico criterioso para me auxiliar. E o líder pode também conduzir de maneira apropriada as qualidades e competências dos diversos Temperamentos para posições apropriadas e em diversas equipes. Pessoas com Temperamentos receptivos? Coloque-as para receberem pessoas ou fazerem os primeiros contatos. Um bom comerciante, tem uma sanguinidade. Existem tarefas repetitivas que precisam terminar bem? Leve para aí alguém com traços fleumáticos. Ela ficará feliz e os resultados aumentarão. Sob esse ângulo, o líder é como um regente de orquestra: leva as pessoas aos lugares certos.

Por: Paulo Neves Junior - Médico Antroposófico e Consultor IMO Brasil

Clique e veja mais notícias sobre a Alta Comunicazione.